Google

RIP Seth Putnam

Seth Putnam (Boston, 15 de Maio de 1968 - 11 de junho de 2011) foi um músico americano e fundador da banda de grindcore/noisecore Anal Cunt. Participava também dos seguintes projetos paralelos: Angry Hate, Impaled Northern Moonforest, Satan's Warriors, Shit Scum, Vaginal Jesus e You're Fired. Também tocou contra-baixo e fez backing vocals por dois anos (1986 - 1988) na banda de thrash metal Executioner.

Em outubro de 2004 Seth entrou em estado de coma por dois meses, devido a uma overdose (suficiente para dois meses de uso) de pilulas para dormir Ambien - há quem diga que foi uma tentativa de suicídio ou uma combinação de doses fortes de crack, cocaína, álcool e heroína. Após a saída do coma, estava debilitado nas áreas motoras e com dificuldades para raciocínios simples. Submeteu-se a fisioterapia e ficou consideravelmente recuperado.

No dia 11 de junho de 2011, o cantor morreu de um ataque cardíaco aos 43 anos. A notícia foi confirmada via twitter pela publicista do ANAL CUNT, Kim Kelly, da Catharsis Public Relations. Kelly comentou: "Sim, é verdade. Seth Putnam, um dos músicos mais infames que o metal extremo já viu, o GG Allin do grindcore, morreu por causa de um ataque cardíaco. Eu me encarregava de toda a promoção do último álbum do ANAL CUNT, 'Fuckin' A', e Seth sempre tinha um prazer em cumprir qualquer pedido que eu enviava. A banda estava trabalhando em um novo álbum antes da morte dele, então as chances são que a mensagem final da carreira musical dele ainda está para ser lançada."

Disse mais: "Eu quero lembrar a todos que não importa quão escandalosa e controversa a carreira musical dele foi, Seth era ainda assim um ser humano com amigos e família que o amavam. Espero que a Internet vá se lembrar disso. Este é um período muito triste e difícil para aqueles que o conheciam, e a última coisa que eles precisam ver é um dilúvio de mensagens de ódio. O homem viveu e morreu por suas próprias regras; no mínimo respeitem-no por isso."

Putnam era conhecido por seus gritos brutais e letras que ou chocavam, ofendiam ou invocavam humor mórbido. Durante sua carreira Putnam envolveu-se em muitos projetos, incluindo fazendo backing vocals no álbum "The Great Southern Trendkill" do PANTERA. Era filho de Edward R. Putnam e Barbara Ann Donohue - ambos divorciados.

Seis meses antes de sua morte, Seth Putnam deu uma longa entrevista ao hellbound.ca. Putnam discutiu seus pensamentos sobre a morte; porque ele ainda usava drogas e álcool após passar por um coma; e o que talvez pudesse ser escrito em sua lápide. Confira abaixo trechos da entrevista.
Hellbound.ca: Sua overdose e seu coma em 2004 foram bem documentados. Como sua vida mudou desde que você passou por isso e foi hospitalizado, ou sua vida mudou de alguma forma?
Seth Putnam: Eu acordei do coma e não conseguia mover nenhuma parte do meu corpo por um longo período de tempo. Eu não conseguia andar bem. Quando eu estava no hospital, os médicos descobriram que eu estava depressivo e me colocaram em anti-depressivos. Então talvez seja a melhor coisa que já me aconteceu, pois não estou mais depressivo sempre e não quero me matar o tempo todo. Neste momento, estou usando Celexa. Eles inicialmente me colocaram em Prozac e então me trocaram para o Celexa.
Hellbound.ca: Agora que você está sob anti-depressivos, você parou de usar drogas ou beber?
Seth Putnam: Não. Eu não posso ficar muito doido como eu ficava antes do coma porque eu não consigo aguentar. Mas eu ainda uso muito. Eu ainda posso me acabar com bebida e álcool. Mas eu não faço isso tanto assim. Então talvez possa ser uma dose de heroína ou de cocaína, ou uma dose de bebida alcóolica. Qualquer coisa possível.
Hellbound.ca: Depois que você saiu do coma e começou a se recuperar, você alguma vez já pensou em mudar a sua vida? Isso não estava no destino?
Seth Putnam: No minuto em que acordei, pedi a minha namorada para ir à loja de bebidas alcoólicas. Ela não queria ir e eu fiquei tipo, "Pare de ser um saco e vá para a loja de bebidas." Então eu disse, "Me tire da cama e eu mesmo irei," e eu percebi que não podia mover nenhuma parte do meu corpo. Depois de sair do hospital, meus amigos me levaram em uma cadeira de rodas para um bar. O dia mais legal desde então foi quando eu fumei um monte de crack. Foi a primeira vez que usei crack em quase um ano.
Hellbound.ca: Se você ouve alguém dizer que você é maluco ou idiota por continuar a usar drogas e a beber depois do que aconteceu, como você responde?
Seth Putnam: Bom, assim que eu saí, eu afundei em drogas novamente. Agora estou mais no controle de mim mesmo. Eu fui nessa coisa chamada administração da redução de danos. Aprendemos a não nos acabar toda hora. Acho que eu descobri como manter o controle de mim mesmo, coisa que eu não podia fazer antes do coma.
Hellbound.ca: Seus amigos se preocupam com você poder acabar como um G. G. Allin (que morreu de overdose), e com o fato de que talvez você não seja tão sortudo da próxima vez?
Seth Putnam: Metade dos meus amigos usam drogas e a outra metade anda na linha. Meus amigos corretos entendem o que eu sou. Eles se preocupam comigo, mas entendem que eu farei o que eu farei. Agora eu sei como me controlar então não vou chegar a uma overdose. Não vou me colocar nessa posição porque eu não quero que meu corpo fique f*dido novamente.
Hellbound.ca: Seu amigo John McCarthy do POST MORTEM se foi há alguns anos atrás. Você ficou surpreso que ele morreu e você ainda está aqui apesar do que fez?
Seth Putnam: Ele estava com problemas e ficando bêbado com Listerine e coisas deste tipo. Mas eu fiquei surpreso quando ele morreu. A coisa mais estranha era que ele era um avô aos 40 anos. Mesmo quando ele teve seu primeiro filho eu havia achado estranho. Ele foi um dos meus melhores amigos de todos os tempos. Eu poderia dizer coisas ruins sobre ele mas eu não vou porque as coisas boas predominam sobre as coisas ruins. Em 2008, tocamos em um show na Califórnia com o ANAL BLAST e THE MEAT SHITS. As pessoas estavam apostando em quem ia morrer primeiro, eu ou Don Decker do ANAL BLAST. Don morreu tipo um ano depois.
Hellbound.ca: Quando você morrer, o que estará escrito em sua lápide?
Seth Putnam: Eu não tenho idéia. Depende de quem escreverá. Espero que não seja alguém gay.




0 Response to " "